segunda-feira, 7 de abril de 2014

Noé

Olá!
Como estão, amiga queridas? Aqui estamos bem e temos boas notícias, que depois eu conto.
Ontem fui assistir o filme "Noé", dirigido por Darren Aronofsky, que tem Russel Crowe no papel principal.
Sim, é o Noé da arca, o personagem biblíco.
Mas o filme tem muitas, digamos, "licenças poéticas", hehe. Concordo com que disse Emma Watson sobre o filme ser atemporal, pelo cenário não poderíamos dizer que a história se passa há muitos milhares de anos no passado ou no futuro... Mas, claro, que conhecendo os personagens e a história bíblica, situamos a história no passado. 
A Terra está devastada... as cidades humanas estão em colapso por escassez de recursos, a guerra é a maneira de seguir adiante, toma-se à força aquilo que se tinha e destruiu-se/esgotou-se (não parece atual ?). A família de Noé vive num mundo à parte... escondem-se do resto da humanidade (onde impera a crueldade), alimentam-se exclusivamente de vegetais, não tiram do solo aquilo que não precisam para viver.
Gostei muito dessa parte, apesar de causar uma grande estranheza para quem conhece, ao menos, um pouco da história biblíca, nunca vi na bíblia nenhuma referência de vegetarianismo ou de respeito à vida animal... deixa pra lá!
Bom, deixando de criticar ou filosofar:


Ah! O filme é longo, tá? Mas eu não reclamo de duas horas vendo o Russel Crowe :)
 Família Noé na "porta" da arca...
 Os animais rastejantes de dirigindo à arca em busca de abrigo...
Vale a pena a reflexão que o filme pode trazer a quem tiver a mente aberta aos problemas ambientais que estamos causando ao planeta. Quem está a fim de uma historinha bíblica, por favor, não assista!
Boa semana à todas!

Um comentário:

Andrea disse...

Oi De, concordo com você, o filme não tem nada de bíblico (eu já sabia disto) e trás muitas insights de como estamos tratando o mundo em que vivemos e principalmente os outros. Nos trás a tona que precisamos participar da mudança e não deixar nas "mãos divinas" que algo mude. Ou para melhor e infelizmente, para pior. Creio em mudanças e atitudes, por isto amei este filme. Super beijo e ótima critica!