quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Lourinha

No dia 03 de setembro de 1999, minha irmã chegou em casa com uma caixa de papelão. Dentro cinco gatinhos muito bebês e um pedaço de mortadela! Os gatinhos foram alimentados com conta-gotas por nós durante vários dias. Sobreviveram, cresceram e ganharam novos lares na vizinhança. Quatro fêmeas e um machinho. Três lourinhos e duas listradinhas. Acabamos ficando com uma lourinha e uma listradinha. Celi Catarina e Magali Francisca. Salvas, mais uma vez, por uma visita à veterinária no meio da noite. Mais cuidados. Depois castração e muito, muito amor e mais cuidados. Mas nada comparado à alegria e ao carinho que sempre recebemos de nossas gatinhas.
Os outros maninhos atravessaram a ponte do arco-íris, um de cada vez há alguns anos. A Magali Francisca foi levada por São Francisco na quarta-feira de cinzas de 2007. E hoje, São Franciso levou também nossa Loura. Agora todos os maninhos estão reunidos de novo. Tenho certeza que estão felizes e bem cuidados.
Ontem à tardinha fui visitar minha Celi, que estava internada há uma semana. Ela estava linda, mas muito abatida e contrariada, como não podia deixar de ser nessa situação. Conversei com ela, acariciei durante muito tempo. Mas ela não se mostrou muito disposta. E hoje de manhã, ela desistiu de voltar pra casa e foi se juntar aos nossos outros bichinhos que estão à volta de São Francisco.
Meu Senhor, cuida bem dela. Porque nós a amamos e vamos amá-la sempre, mesmo à distância.

4 comentários:

Arte&Reciclagem, ReceitasSaúde e ReciclagemdasLetras disse...

Minha querida, embora não te conheça pessoalmente, saiba q li sua postagem e me emocionei, pq como vc, tb amo os animais. Em 2007tb perdemos uma cadelinha pra epilepsia, apos muitos tratamentos e sofrimento...espero, como vc, q tds estejam bem, felizes e protegidos, essas criaturinhas de Deus, tão inocentes e tão queridas. Expresso meus sinceros sentimentos, o processo é lento, mas aos poucos vamos aceitando a perda. Um gde abraço,
Mi

Luciana F. Damiano disse...

Perder um bichinho é uma coisa muito estranha...fica um buraco esquisito na gente e uma lembrança incrível de momentos maravilhosos para o resto da vida...
bjs

Andrea disse...

Nossos filhos, nossos mimos... um pensamento bom para ti Dê... beijos!

Luciana disse...

Ai que dó... não me imagino sem meu Mingau... Carinho! Um beijo no seu coração.